quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Com 62 anos de carreira e 88 de idade, Dona Ivone Lara ganha seu primeiro DVD.

Cantora gravou nesta terça, 11/08, com Caetano, Gil e Zeca Pagodinho no Rio. Em 1965, Dona Ivone Lara fez história ao ser a primeira mulher a compor um samba-enredo com “Os cinco bailes da história do Rio”, para a escola de samba carioca Império Serrano. Dona Ivone, que na época trabalhava como enfermeira, compunha desde 1947, mas só depois que se aposentou, em 1977, ela abraçou a carreira artística definitivamente. A relação caprichosa que costuma ter com o tempo fez com que só agora, aos 88 anos, a grande dama do samba ganhasse o seu primeiro registro em DVD. A gravação acontece na noite desta terça-feira, 11, no Canecão, no Rio, e reúne nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Beth Carvalho e Zeca Pagodinho. “Se o DVD está saindo agora é porque tinha que sair agora. Aguardei, consegui e estou entusiasmada. Ele está saindo em um momento em que eu estou com saúde, a cuca ainda está boa. Estou perfeita. Tudo na vida é assim”, diz ela com a sabedoria daqueles que já viveram muito e entendem do riscado. A direção do trabalho coube a Tulio Feliciano que vai contar os quase 40 anos de carreira de Dona Ivone Lara em sete etapas. O show vai mostrar desde a passagem dela pelo Cacique de Ramos, o flerte e as composições com os baianos, até sua obra com a nova geração do samba. O EGO acompanhou um dos ensaios para a gravação do DVD e bateu um papo com a autora de “Sonho meu” sobre a expectativa para o trabalho, a nova geração do samba, projetos para o futuro e até sobre política cultural. Confira! Como a senhora recebeu a notícia da gravação do DVD?DONA IVONE LARA: A notícia foi ótima. Estava esperando por ela há muito tempo, há mais de cinco anos. Fiquei esperando a decisão da gravadora. Eles é que fazem os cálculos para saber se pode gastar, se pode assumir o compromisso. Mas mesmo assim ainda precisamos de patrocínio (risos). O que a senhora fez questão que tivesse nesse trabalho? Ah, todo o meu trabalho, né? Queria que tudo o que gravei e cantei nesses cinco anos de espera saísse. Vai dar um bocado de trabalho juntar essas músicas todas, fazer os arranjos... Mas faço questão de todas as músicas. Tem muita coisa que tenho que dar um jeito de entrar. Tanta música que fiz, dei para os outros cantarem. A senhora que escolheu os convidados? Eu não chamei ninguém, não. O produtor, o Tulio, escolheu as pessoas para entrarem no DVD. A senhora ficou surpresa com a quantidade de convidados que vai participar da gravação desse projeto? Não, não. Se eu pudesse eu colocava até os meus netinhos para gravar. É que eles são pequenininhos, mas quando ouvem alguma coisa, já batem palminha (risos). Tem gente que chega a certa idade e começa a ficar mais quieto em casa. A senhora não, canta, faz shows, vai gravar um DVD... Esse é o segredo da longevidade, estar sempre ativo? Ah, minha filha, eu estou viva. Tenho mais é que aproveitar esse restinho... Restinho, não! Ainda não está determinado. Deus ainda não falou se é ou não o restinho da minha vida. Espero que isso se prolongue bastante ainda. Fiquei muito contente de ver chegar o dia da gravação desse DVD, que está há cinco anos para sair. Espero que fique bom. Espero que os convidados façam o melhor! Vou ficar muito agradecida a eles. A senhora já tem novos projetos para depois da gravação do DVD? Não, também, calma, né? Isso aí é devagar! Não gosto de fazer projeto que não vai se realizar. Quero fazer coisas que eu esteja em condições de realizar. Como é fazer shows com 87 anos? Às vezes cansa, ou o palco é o lugar em que a senhora sempre se realiza? O palco é sempre bom. Sempre gostei de palco. Para mim, subir nele e me apresentar é sempre bom. Sou povo e gosto do povo. Tenho que estar lá. Sua carreira artística começou tarde, na década de 70, depois que a senhora se aposentou da enfermagem. Em algum momento, achou que sua carreira não fosse acontecer? Acontece o seguinte, eu fiquei esperando a hora certa, a ocasião. Tudo tem ocasião certa na vida. Se o DVD está saindo agora é porque tinha que sair agora. Aguardei, consegui e estou entusiasmada. Ele está saindo em um momento em que eu ainda estou com saúde, a cuca ainda está boa. Estou perfeita. Tudo na vida é assim. Como a senhora vê a nova geração do samba? Acho ótima. Gosto de ouvir tudo. Eles estão aproveitando bastante a época em que o samba está brilhando. Hoje tudo é bem mais fácil. Qual foi a principal dificuldade em fazre samba na sua época? Sempre teve muito samba, mas não tinha a liberdade que se tem agora. Havia a censura que ficava em cima. A senhora já teve letra censurada? Graças a Deus, não. Sempre tive cuidado e não gosto de fazer letras provocantes. Gosto das coisas sérias. A senhora sofreu preconceito por ser mulher no meio do samba? Eu não. Sempre me receberam bem, e também, eu sempre me julguei. E eu me julgando é suficiente. Sempre soube chegar nos lugares, fui bem recebida em todas as rodas, em qualquer meio. Nelson Sargento entregou uma carta ao Ministro da Igualdade Social com a proposta para que o governo brasileiro ofereça subsídios para o sambista ter como viver só de sua arte, dedicar-se só à sua obra. O que a senhora acha disso? Coitado do Nelson! Nelson está sonhando. Isso vai demorar muito para acontecer. O governo está é cuidando do bolso dele, o resto que se dane. Agora tem uma coisa, nós somos teimosos. Colocamos o samba lá e fazemos tudo por ele. Não tenho ilusão nenhuma de que o governo faça isso ou aquilo. Seria ótimo, mas o governo está cuidando de outras coisas (risos). *http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1262147-9798,00-COM+ANOS+DE+CARREIRA+E+DE+IDADE+DONA+IVONE+LARA+GANHA+SEU+PRIMEIRO+DVD.html ** Um exemplo a ser seguido e produzirmos o DVD de Glorinha Oliveira, nosso Rouxinol Potiguar, projeto é o que não falta, falta mesmo é vergonha na cara da classe, de se unir mais e prestar essa homenagem a esta cantora potiguar e como ela mesmo diz:"Roqueira legitima".

Nenhum comentário:

Postar um comentário