domingo, 25 de dezembro de 2011

JOAQUIMTUR - O Perfil do Turista MUDOU.

Crise muda perfil dos turistas
Sem europeus, turistas do Sudeste brasileiro predominam em Natal
Felipe Gibson // felipegibson.rn@dabr.com.br

Conhecida como a região que concentra o maior número de estrangeiros em Natal, a praia de Ponta Negra sofreu uma ligeira mudança no perfil do público em 2011. A menor presença do turista internacional, principalmente europeu, já pôde ser notada na orla e na noite natalense, e vem se confirmando estatisticamente por uma pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Seturde) para identificar a demanda turística da capital potiguar. No lugar dos visitantes do exterior, pessoas vindas do Sudeste e Sul do Brasil são as que mais se fazem presentes no litoral natalense.
Levantamento da Seturn mostra predominância de turistas vindos do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
O turista nacional que chega ao Rio Grande do Norte vem predominantemente do eixo Rio de Janeiro-São Paulo. O chefe do setor de Projetos e Estratégias da Seturde, Raúl Silveira Ribeiro, afirma que o perfil identificado até o momento é de pessoas com idade entre 30 e 40 anos já consolidadas em termos de renda. "Eles têm um tempo livre maior para viajar e vêm aproveitar",destaca. O binômio sol e mar ainda é o grande atrativo da cidade, e os passeios previstos no city tour oferecido pelas agências de turismo é o caminho seguido pelos visitantes. No caso dos mais jovens, Raúl Ribeiro aponta que a procura maior acontece pela praia de Pipa, famosa pelas festas. A diminuição dos europeus em Natal encontra explicação na crise econômica vivida no Velho Continente e a desvalorização do euro, o que diminuiu bastante o poder de compra dos visitantes estrangeiros. Assim como vem ocorrendo na economia brasileira como um todo, o setor do turismo apresentou taxas de crescimento abaixo do ano passado. Na hotelaria potiguar não foi diferente. A queda anual da ocupação dos hotéis chega a uma média de 20%. Em dezembro o índice caiu 15%. Realizada desde outubro, a pesquisa de demanda turística desenvolvida pela Seturde continuará até março e sairá com dados consolidados em abril. Um relatório parcial divulgado no começo do mês mostrou que entre 600 turistas ouvidos, 70% (524) deles são provenientes do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Distrito Federal, Acre, Pernambuco, Goiás e Ceará e, 30% (76) da Espanha, Itália, Suíça, Itália, Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Suíça e Suécia. A notável queda na quantidade de turistas internacionais se notabiliza pelos questionários serem preenchidos somente em Ponta Negra, praia historicamente mais frequentada por visitantes estrangeiros. Além da ausência dos estrangeiros, o presidente da Associação Brasileira de Hotéis do Estado (ABIH/RN), Habib Chalita, conta que a concorrência vem investindo bem e conquistando preferência. "No reveillon, por exemplo, Fortaleza fará um grande evento de rua, enquanto aqui temos uma carência", explica Chalita. Sobre o perfil do público, o presidente da ABIH/RN confirma que os investimentos têm sido direcionados ao mercado nacional. "O turista da Classe C se programa para vir e traz a família", enfatiza. De acordo com Raúl Ribeiro, os visitantes permanecem na cidade em média por uma semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário