terça-feira, 27 de outubro de 2009

Abav quer agências preparadas para Copa e Olimpíadas

No encerramento do seu Congresso Nacional a Associação Brasileira de Agências de Viagens emitiu a sua Carta, focada na responsabilidade de refletir sobre o futuro do turismo no Brasil diante da realização da Copa do Mundo de 2014, e das Olimpíadas de 2016. Veja o seu conteúdo básico:

Cientes da importância dos profissionais de turismo em atender as expectativas dos milhares de visitantes que virão ao Brasil nos próximos anos, e da necessidade de adequação do mercado aos novos desafios, a Abav orienta e recomenda:

Receptivo Brasileiro - Diante da necessidade do Brasil em aumentar a captação de turistas estrangeiros nos principais mercados emissores, é premente agilizar a tramitação do projeto de flexibilização dos vistos que se encontra no Congresso Nacional; Descentralizar o mercado receptivo brasileiro, atualmente concentrado no Rio de Janeiro e em São Paulo e buscar a padronização dos serviços ofertados, garantindo assim um padrão de qualidade; Desenvolver banco de dados atualizado com atrações, hotéis, restaurantes e serviços públicos dos destinos brasileiros; investir em novas tecnologias; criar produtos segmentados para diversos púbicos.

Responsabilidade Civil - É urgente a aprovação e a sanção sem vetos do Projeto de Lei 5.120/2001, que regulamenta a atividade das agências de turismo, em tramitação no Congresso Nacional. O projeto visa a definir os papéis nas relações comerciais entre agências de viagens, fornecedores e consumidores e é fundamental para o bom funcionamento do setor de Turismo e preservação dos direitos do consumidor. Atualmente, as ações contra as agências de viagens nos juizados especiais civis representam 80% da demanda das seguradoras, o que retrata a fragilidade dessas relações.

Turismo Rodoviário - Necessidade de que a fiscalização dos ônibus das transportadoras turísticas e agências com frota própria seja simplificada e padronizada com a utilização de selo com a chancela do Ministério do Turismo e da Agência Nacional de Transporte Terrestre (para que possam atuar em todo o Brasil; e Conscientização da necessidade das empresas que oferecem serviços de transporte rodoviário de se integrarem ao Cadastur, inibindo assim a ação de piratas no mercado.

Capacitação - A valorização do agente de viagens está diretamente relacionada a sua maior capacitação profissional. Para que o país tire maior proveito da visibilidade que terá durante a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, é fundamental investir na qualificação do setor de agenciamento; Fortalecimento das ações do Proagência II, uma parceria da Abav com o Sebrae Nacional, que visa, dentre outros aspectos, a capacitar os profissionais ligados ao setor de agenciamento, principalmente os de turismo receptivo, visando a necessidade do agente de viagens buscar a especialização nos serviços que oferece; e Estabelecer alternativas para que as pequenas e médias agências possam melhorar sua atuação e posicionamento no mercado, com a adoção de modelos de gestão de negócios diferenciados e que permita a integração das agências.

Tecnologia - Necessidade de cobrança de uma taxa, equivalente à DU, na venda direta ao consumidor, pelos sites e portais das companhias aéreas; e Igualdade nas tarifas em todos os canais de venda.

No final a Carta conclui - Neste contexto, o evento Abav 2009 reforça o seu papel de espelhar a realidade setorial, de sinalizar e debater grandes temas da atualidade e as grandes metas que o turismo nacional precisa alcançar.

*Fonte:www.destinodosol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário