sábado, 28 de novembro de 2009

NATAL EM NATAL - COM A VOLTA DO PRESENTE DE NATAL

Após dois anos de hiato, o tradicional espetáculo “Um Presente de Natal” voltará a ser encenado em 2009. Em vez da fachada do Palácio da Cultura, na Cidade Alta, a peça, escrita por Racine Santos, dirigida por Diana Fontes e musicada por Danilo Guanais, terá a Praça de Mirassol como palco. A mistura de teatro, dança e música terá espaço em quatro apresentações, do dia 17 de dezembro até o dia 20. Emanuel Amaral Após dois anos sem acontecer, por falta de apoio, ‘Um Presente de Natal’ volta em novo local – em Mirassol – sob a direção de Diana Fontes, música de Guanais e texto de Racine Santos“Um Presente de Natal” completou 10 anos em 2006 e desde então não foi mais realizado. De acordo com a diretora e produtora Diana Fontes, o aniversário de dez anos de espetáculo foi “presenteado” pela Fundação José Augusto. “Viramos um projeto privado”, diz. A partir de então, a luta de Diana foi para conseguir captar recursos para manter a peça já tradicional dos festejos natalinos da cidade. Conseguiu apenas agora, através das leis de incentivo estadual (Câmara Cascudo) e municipal (Djalma Maranhão). E mesmo assim com dificuldades.O espetáculo recebeu apenas 50% dos recursos previstos inicialmente. Foi o que deu para fazer. O número de apresentações programadas, que aconteceriam em todas as zonas da cidade, caiu de 16 para quatro. E todas num só local: a Praça do Natal, em Mirassol. Mesmo assim, a produtora Diana Fontes comemora a volta de “Um Presente de Natal”. “Tivemos esses problemas que esperamos não repetir no próximo ano. Fizemos o projeto com muito amor e como uma celebração dessa volta”, diz. E complementa: “Existem coisas que nunca acabam, como o amor e o respeito pelo próximo. E também o nosso espetáculo, que é muito querido por todos. Recebemos várias mensagens lamentando a paralisação e a mudança de local”.A concepção do espetáculo, contemporânea, que valoriza a junção entre teatro e música, não mudou. “Um Presente de Natal” foi construído da mesma maneira, “à seis mãos”, como frisa o dramaturgo Racine dos Santos. “Fizemos o espetáculo, eu, Diana e Danilo Guanais. É um texto aberto, bastante contemporâneo, que não leva ao pé da letra a questão da linearidade do teatro clássico”, aponta Racine dos Santos.Com relação aos temas, Racine ressalta o resgate de algumas das tradições do Natal. Por conta disso, o título do espetáculo - “Um Presente de Natal – soa como um pouco irônico. O presente aqui não é material. “Sou cristão e católico por formação. Hoje, infelizmente, o comércio e a mídia desvirtuaram boa parte do espírito do Natal, que é uma época de comprar e consumir, mas esquecem o amor, a esperança, a caridade, etc”, esclarece Racine, acrescentando que o enredo não sofrerá grandes modificações, afinal trata-se da história do nascimento de Cristo, um mito presente em todo o ocidente. “Independente de ser ou não religioso, é uma história universal, presente na vida de todas as pessoas”, conta. Diana Fontes complementa: “Podemos exemplificar com o movimento hippie que, sem meios de comunicação e nem globalização, conseguiu espalhar a ideia do amor pelo mundo inteiro. Tem ideais que são eternos, como o amor e a esperança”.‘Festa do Menino Deus’Além de “Um Presente de Natal” e do Auto de Natal, patrocinado pela Prefeitura, o calendário natalino da capital potiguar tem, obrigatoriamente, um espaço para a “Festa do menino Deus”, o auto realizado pela Fundação José Augusto, ou seja, pelo Governo do Estado. Ainda não há programação, mas a FJA garante a realização dos festejos.“Não podemos divulgar ainda porque a programação não está pronta, mas irá acontecer e devemos divulgar o calendário em breve”, diz a Fundação, por meio de sua Assessoria de Imprensa. O texto, também escrito por Racine dos Santos, tem um formato mais linear, na esteira dos autos medievais, mas com um enredo transposto para a realidade nordestina. Isaac Lira - Repórter *Fonte:http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/um-presente-surpresa/133089

Nenhum comentário:

Postar um comentário