sexta-feira, 9 de julho de 2010

CASA DO CORDEL

O poeta popular, cordelista, escritor e compositor Erivaldo Leite de Lima, o Abaeté, de 49 anos, era menino na cidade pernambucana de Sertânia, região do moxotó, e já gostava de literatura de cordel. Ele ia sempre à feira, perto de casa, para comprar os livretos e admirar os cantadores. De leitor e colecionador, logo passou a escritor. Hoje, é também uma das pessoas que mais ajudam a difundir esse tipo de literatura. Há pouco mais de um ano e meio, Abaeté abriu na Cidade Alta, à rua Vigário Bartolomeu, a Casa do Cordel, onde - segundo ele - está o maior acervo de cordeis do Brasil. “São mais de cinco mil títulos”, diz. A Casa vende também belíssimas xilogravuras na imburana e impressas em papel..Boa parte é feita pelo filho de Abaeté, Erick Lima, de 22 anos, mestre nesse ofício. “Ele aprendeu sozinho, da necessidade que a gente tinha de botar as capas nos cordeis, porque cordel sem capa de xilogravura não é cordel”, diz Abaeté, que põe o menino entre os grandes xilogravuristas do Brasil. Além do material exposto, do espaço ainda saem cordel e xilogravura por encomenda, ao gosto do cliente. Pode ser uma imagem qualquer ou o retrato da família. Uma vez por mês, o local vira um ateliê onde as pessoas vão para aprender xilogravura. Ah, e se quiser ir qualquer dia só para conversar e saber mais sobre cultura popular e cordel, a porta está sempre aberta. Para Abaeté, é um enorme prazer. A Casa do Cordel fica na rua Vigário Bartolomeu, 578 - Cidade Alta. Tel. 8836 5476.

Nenhum comentário:

Postar um comentário