sexta-feira, 15 de outubro de 2010

PAULO GRACINDO

A história de Paulo Gracindo se confunde com a história da comunicação no Brasil. Apesar de nascido no Rio de Janeiro, viveu em Maceió até os 20 anos. De volta à cidade maravilhosa, destacou-se por sua voz marcante e fez sucesso no teatro e no rádio, onde atuou como apresentador e ator de radionovelas. Na TV, sua popularidade atingiu o auge durante as décadas de 70 e 80, quando deu vida a personagens marcantes como o bicheiro Tucão, da novela “Bandeira 2”, e o deliciosamente corrupto Odorico Paraguaçu, da novela “O Bem-Amado”. Pelópidas Guimarães Brandão Gracindo, mais conhecido como Paulo Gracindo, (Rio de Janeiro, 16 de junho de 1911 — Rio de Janeiro, 4 de setembro de 1995) foi um ator brasileiro. Paulo Gracindo se considerava alagoano, pois foi viver em Maceió ainda bebê. Sonhava ser ator, o pai era um obstáculo, e lhe dizia No dia em que você subir a um palco, saio da plateia e te arranco de lá pela gola. Paulo Gracindo respeitou a proibição até a morte do pai. Aos vinte anos, mudou-se para o Rio, dormiu na rua e passou fome. Investiu num namoro com a filha de um português para entrar no grupo de teatro de maior prestígio da época, o Teatro Ginástico Português. Batizado Pelópidas Guimarães Brandão Gracindo, no palco mudou o nome: Uns me chamavam de Petrópolis, outros de Pelopes. A empregada me chamava de Envelope. Num dos primeiros trabalhos, a personagem de Gracindo ficava dois minutos no palco, o que levou um crítico a fazer o seguinte comentário: De onde veio esse rapaz que não faz nada e aparece tanto? Participou das maiores companhias teatrais dos anos 30 e 40. Fez sucesso na Rádio Nacional, apresentando o Programa Paulo Gracindo. Com a radionovela O Direito de Nascer, encantou no papel de Alberto Limonta; e no programa de rádio Balança mas Não Cai interpretou, com Brandão Filho, o quadro do Primo Pobre e Primo Rico. Na televisão fez personagens inesquecíveis, como o Tucão da telenovela Bandeira 2 (1971), o Coronel Ramiro Bastos em Gabriela (1975), o João Maciel de O Casarão (1976), o padre Hipólito de Roque Santeiro (1985) e o Primo Rico, no humorístico Balança mas Não Cai. Mas, o mais marcante foi o prefeito Odorico Paraguaçu, de O Bem Amado de Dias Gomes (1973; 1980-1984). Em 1990, atuou em Rainha da Sucata como o Betinho (Alberto Figueiroa), nas quais tinha um bordão que ficou muito conhecido, o famoso "coisas de Laurinha!". Fez poucos filmes, mas foi um dos atores preferidos da geração do Cinema Novo. Fez um papel em Terra em Transe, de Gláuber Rocha. Achava a sétima arte complicada demais: É coisa de chinês, dizia. Morreu aos 84 anos. É pai do também ator Gracindo Júnior. Índice [esconder] • 1 Carreira o 1.1 Na televisão o 1.2 No cinema • 2 Ligações externas [editar] Carreira [editar] Na televisão • 1963 - A morta sem espelho • 1967 - A rainha louca.... Conde Demétrius • 1968 - A gata de vison • 1970 - A próxima atração.... Borges • 1971 - Bandeira 2.... Artur do Amor Divino (Tucão) • 1971 - O cafona.... Fred da Silva Barros • 1973 - O Bem-Amado.... Odorico Paraguaçu • 1973 - Os ossos do barão.... Antenor Camargo Parente de Rendon Pompeo e Taques • 1975 - Gabriela.... Coronel Ramiro Bastos • 1976 - O casarão.... João Maciel • 1978 - Sinal de alerta.... Tião Borges • 1979 - Pai Herói.... Dr. Caio (advogado de André) • 1980 - O bem-amado (seriado - 1980/84).... Odorico Paraguaçu • 1981 - O bem-amado (seriado - 1980/84).... Odorico Paraguaçu • 1982 - O bem-amado (seriado - 1980/84).... Odorico Paraguaçu • 1983 - O bem-amado (seriado - 1980/84).... Odorico Paraguaçu • 1984 - O bem-amado (seriado - 1980/84).... Odorico Paraguaçu • 1984 - Caso Verdade, Esperança.... João Alfaiate • 1985 - Roque Santeiro.... Padre Hipólito • 1987 - Mandala.... Vovô Pepê (Perácio Silveira) • 1990 - Rainha da Sucata.... Betinho (Alberto Figueroa) • 1991 - Vamp.... Arlindo Cachorrão • 1992 - Deus nos acuda.... embaixador americano do céu (participação especial) • 1993 - Agosto.... Emílio • 1995 - O Besouro e a Rosa (especial) [editar] No cinema • 1937 - João Ninguém • 1938 - Tererê não resolve • 1939 - Anastácio • 1939 - Está tudo aí • 1939 - Onde estás felicidade? • 1941 - 24 horas de sonho • 1941 - O dia é nosso • 1950 - Estrela da manhã • 1953 - Balança mas não cai • 1956 - De pernas pro ar • 1962 - Copacabana Palace • 1965 - A falecida • 1967 - Tarzan and the Great River • 1967 - Terra em transe • 1967 - Cara a cara • 1967 - Na mira do assassinato • 1968 - Antes, o verão • 1968 - Copacabana me engana • 1969 - O bravo guerreiro • 1970 - Salário Mínimo • 1975 - Blablablá (curta-metragem) • 1978 - A morte e a morte de Quincas Berro D'Água • 1978 - Tudo bem • 1979 - Amor bandido • 1986 - Trancado por dentro • 1987 - Exu-Pia, coração de Macunaíma
* Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Gracindo

Nenhum comentário:

Postar um comentário