quarta-feira, 27 de outubro de 2010

VESTIBULAR NAS DUNNAS

O mesmo nervosismo sentido pelos vestibulandos está pairando desde ontem entre os 150 candidatos a bugueiros do Estado. Eles estão passando pela segunda e última fase do processo seletivo, a qual terá 50 escolhidos para fazer um curso de oito meses que vai habilitá-los a trabalhar como bugueiros no litoral potiguar. Essa etapa aconteceu nas dunas da Praia de Búzios, onde os buggys tinham que fazer um percurso de 850m em 6 minutos. Os aprovados terão a formação custeada pela Secretaria Estadual de Turismo (Setur). As aulas serão ministradas pela Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep), a partir do mês de dezembro O último curso para formação de bugueiros foi em 2004. A falta de profissionais especializados na área ficou mais latente na última alta estação, quando sobravam buggys e faltavam condutores. Partindo desse déficit, a secretaria decidiu elaborar uma nova capacitação. "Muitos permissionários estão há muito tempo no ramo e já não dirigem mais por cansaço ou problemas de saúde. Então, estavam faltando condutores", explicou o secretário adjunto de Turismo, Armando José e Silva. Foram inscritas 440 pessoas para concorrerem as 50 vagas. A primeira fase foi uma prova teórica com questões de nível médio, turismo e trânsito. "A concorrência foi alta. A pior nota foi 8.5", apontou Armando. A fase disputada ontem e hoje é a chamada prova prática, em que os condutores devem seguir o trajeto estipulado pela secretaria corretamente, sem atolar o carro e no tempo mínimo possível. Para saber o trajeto que o veículo está fazendo é colocado um GPS em cada buggy, que grava o caminho percorrido e através de um programa de computador avalia a prova do condutor. Além disso, tendas com juízes foram espalhadas pelas dunas para também ajudar na escolha dos melhores motoristas. O resultado da prova sairá em 30 dias e os aprovados começarão o curso em dezembro com duração de 470 horas, sendo 100 dessas práticas. Concluídoesse processo, cabe ao condutor procurar a Setur e fazer seu credenciamento. "Não serão concedidas novas permissões. O curso aqui é para condutores. Eles podem arrendar uma permissão ou trabalhar para algum permissionários" lembrou o técnico da Setur Chudeleigue Bezerra. Atualmente exsitem cerca de 650 permissões no estado e não há previsão de uma licitação para abrir mais vagas. " Nós avaliamos vários fatores para fazer a licitação. As condições de mercado, o impacto disso no Meio Ambiente", exemplificou o técnico. Presença feminina Até hoje não se tem conhecimento de nenhuma mulher que tenha sido bugueira. Mas o desenvolvimento de Marlene Silva na prova prática pode estar perto de mudar isso. Conforme mostrou o GPS da competição, ela fez o percurso completo corretamente, sem atolar e em pouco mais de dois minutos, quando o tempo máximo era de seis minutos. "Gosto de adrenalina", disse a paranaense, que mora em Genipabu há cinco anos. Apesar da torcida, Rinaldo Sampaio foi um dos muitos que atolou no trajeto. O dono de uma barraca de praia viu no curso a oportunidade para mudar de vida, mas não deu certo. "Eu vi um caminho de madeira e pensei que era para seguir, só que era para desviar, terminei atolando", explicou. Rinaldo pretende tentar na próxima oportunidade. Antes das provas os candidatos receberam um mapa do percurso e passaram por uma vistoria de documentos do veículo. *http://www.diariodenatal.com.br/2010/10/27/cidades10_0.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário