sábado, 13 de novembro de 2010

JOAQUIMTUR , Lembra das homenagens prestadas no mês de novembro à Elino Julião e Tico da Costa

Que mistério tem o número treze, que se cerca de magia? Que mistério tem esta terra, pra gerar homens de sabedoria? Foi num mês de novembro, em anos passados, que nasceram dois cantores de estilos diferentes, mas com algo em comum: cantar a sua terra. Um chamava-se Elino Julião, do “Forró da Coréia”; o outro Tico da Costa, da “Lagartixa”, “Ana Bandolim” e também de canções eruditas executadas pelo virtuoso violão. Se fossem vivos, os potiguares estariam comemorando seus aniversários amanhã. Mas como os músicos são imortais, enquanto durem as suas obras, a festa começa e não tem hora para acabar.
Nascido em Timbaúba, Elino teve grande projeção nacional a partir da década de 60. Teve mais de 600 músicas gravadas por outros nomes da MPBA primeira delas é para Elino Julião, lá no Mercado Público de São José de Mipibu. Como era de se esperar, forró começando cedo. Às 10h da manhã. O encontro está marcado próximo aos quiosques das carnes. Lá estará o idealizador do Projeto Museu do Vaqueiro, Marcos Lopes, na sanfona. Tocando também o instrumento, outro convidado, o engenheiro Breno Sena. Para completar a homenagem, serão ouvidos os versos dos poetas Bob Motta e Paulo Varela. Completando a alegria, o comunicador Riva Júnior vai chamar o público para entrar na folia. Representando Julião, a sua esposa em vida, a senhora Veneranda. E não é só. Elino merece muito mais. Cantor sertanejo, tal qual o nome sugere, dos ritmos do sertão, Julião ganhou o mundo compondo xote, xaxado e baião. Foi para Argentina, Paraguai, recebeu homenagens, coisa que nas terras potiguares em vida ele não teve o prazer de ver. Tocou pela última vez, no Forró da Lua. Pois é lá que acontece a outra comemoração. O Forró da Lua fica numa fazenda, perto da Lagoa do Bonfim, no município de São José. No dia 20 de novembro, portanto o sábado depois deste, estarão outros convidados falando sobre “A vida e a obra de Elino Julião”. A hora já está marcada, começa às 19h. Os nomes foram confirmados: a pesquisadora fonográfica, Leide Câmara; o também pesquisador e historiador Severino Vicente; estudantes de Caicó e Parelhas; e claro, a eterna dama de Julião, dona Veneranda. Mas a homenagem a um artista tão completo, não poderia parar decerto, depois de um debate. Nesta mesma noite, vai ter o “rela bucho”, o “arrasta opercata”, na companhia da banda do herdeiro de Elino Julião, seu filho Araquém. Depois dele sobe ao palco, outro forrozeiro de porte, o cearense Valdones. “Julião está recebendo uma homenagem merecida”, falou Marcos Lopes. A maratona de homenagens a Elino termina com o desfile do bloco Burro Elétrico no Carnatal deste ano. O bloco vai fazer um tributo ao mestre maior do forró potiguar. Tico da Costa em concerto O outro homenageado, o músico Tico da Costa, de onde estiver vai ver subir ao palco, vários representantes da música potiguar. Alguns de seus parentes, irmãos, pai e sobrinha, além de outros nomes, seus fãs de carteirinha. A festa será no dia 16, às 19h30, no Teatro Alberto Maranhão, o público foi convocado. Para não deixar ninguém de fora, estes são os convidados: Antônio de Pádua, Matheus Jardim, Dudu Campos, Carlos Zens, Pedro Paulo, Katharina Gurgel, João Salinas, Dudé Viana, Zé Martins, Nara Costa, Sérgio Farias, Hideraldo, Maestro Bem Bem e Banda de Cruzeta, Coral Glória, Meirinhos do Forró, Lucinha Lira, Valquíria e Ademir Adriano, Paula Neto, Antônio José, Camila Salinas e Egberto Lira. A poetisa Deth Haak também fará intervenções poéticas durante o espetáculo. Como disse sua esposa, Sara Fracchia, em entrevista a este caderno VIVER, Tico foi magistral. Cantava o xote, o baião, a bossa, o Chorinho, Samba, Xaxado e Frevo, todos os ritmos brasileiros. Por ser um homem sem fronteira, étnica, religiosa e cultural, sua cantoria foi além, se tornou universal. Somando tanta gente o nome do show não poderia ser outro, “Várias vozes, um só canto”. Durante as apresentações, no pátio do teatro, estarão sendo vendidas camisetas e CDs. “Se antes eu fazia por trás, um trabalho de manager, depois de sua morte estou fazendo pela frente, pois a coisa que eu mais espero é que a obra do Tico seja conhecida, cantada e ouvida no estado, no Brasil e no mundo”, disse Sara Fracchia. Serviço: Homenagem a Elino Julião Local: Mercado Público de São José de Mipibu . Hoje 13/11, 10h. Entrada: franca Forró da Lua, Dia 20/11, às 19h, na Fazenda Bonfim. Entrada: R$ 25. Tel : 3201-9508 Dia 02 de dezembro, no Bloco Burro Elétrico Homenagem a Tico da Costa Dia 16 de novembro, 19h30, no Teatro Alberto Maranhão. Enttrada: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), à venda na bilheteria do TAM e
nas Lojas Arte Musical da João Pessoa e Via Direta. *Maria Betânia Monteiro - repórter **http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/baiao-de-dois-elino-juliao-e-tico-da-costa/164865

Nenhum comentário:

Postar um comentário