domingo, 24 de julho de 2011

JOAQUIMTUR HOMENAGEA: D.MARIA DA APRESENTAÇÃO OLIVEIRA CASTRO ou simplesmente NÊGA - NOMES DO RN

Uma vovó campeã
Aos 65 anos, Dona Maria mostra que nunca é tarde para praticar esporte. Ela é fera no badminton Luan Xavier // luanxavier.rn@dabr.com.br
Ela não é uma vovó daquelas mais tradicionais. Em vez das tardes de filme em casa ou bordado, aulas de dança, corrida, futsal e natação. Aos finais de semana, no lugar de descansar, Dona Maria da Apresentação Oliveira de Castro, de 65 anos, mais conhecida como Nêga, faz questão de ir a pelo menos dois forrós: um na Associação de Viúvas do Rio Grande do Norte (Avirn) e outro, um tradicional pé-de-serra, em Ponta Negra. Entretanto, o que mais impressiona nela é sua habilidade com um esporte que usa uma certa raquete, um pouco distinta daquelas usadas no tênis, e que, em vez de bola, tem uma peteca como objeto de lançamento: o badminton. Que o badminton, espécie de mistura do jogo de tênis com o de peteca, é um esporte que ganha a cada dia mais popularidade no Rio Grande do Norte muita gente já sabe. O que a reportagem de O Poti/Diário de Natal descobriu é que essa nova onda atinge também a terceira idade, público que já conta com categoria específica em quase todas as competições realizadas no estado. Dona Maria é uma das participantes e já consegue fazer uma coleção de medalhas, contando inclusive com a de campeã estadual. Para ela, o que mais vale é o prazer de praticar um esporte que até bem pouco tempo era totalmente desconhecido para ela, mas que chamou sua atenção logo de cara. Seu primeiro contato com o esporte foi na instituição de ensino Facex, que mantém um projeto destinado à terceira idade. Logo que viu, Dona Maria conta que já quis aprender a jogar peteca usando a raquete. "Eu fui a primeira e dizer que queria fazer. As outras ficaram um pouco com medo, mas, aos poucos, a gente foi montando o time", lembra a aposentada. Depois que conseguiu convencer a amiga Marileide, as outras começaram a vir com mais facilidade. De forma mais natural ainda começaram a vir os resultados. A última medalha foi o bronze na primeira etapa do Circuito Estadual de Badminton, realizado em março passado. A próxima, se depender de Dona Maria, será na segunda etapa, prevista para iniciar no final deste mês de julho. Mesmo já tendo contato com vários outros esportes, Dona Maria diz que o badminton chegou na hora certa e que só depois dos 60 é que conseguiu se encontrar dentro de uma atividade.
"É o melhor esporte que eu já fiz na minha vida. Só vou parar de praticar quando eu morrer", afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário