quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

JOAQUIMTUR DIZ: ANNA MARIA CASCUDO 01 ANO DE SAUDADES!!!


          Fica difícil e dolorido ainda falar de uma pessoa tão especial que nos deixa, lembro-me a primeira vez que nos encontramos e falei do meu projeto de Turismo Pedagógico, Cultura e Religioso, onde protamente não só gostou como se intitulou Madrinha dele, que pra mim sem dúvida foi um dos maiores presentes que já ganhei na vida, poucos sabem e iram entender que aos poucos nossa amizade, foi se transformando em cumplicidade ou seria confidencialidade, já conversarvamos sobre a vida, histórias de seu Pai o Mestre, amenidades do dia a dia, tudo e até sobre a morte, pois para Anna não existia era apenas mundança de Plano ou simplesmente um Encantamento, em nosso últimos encontros ela me disse que estava indo ao encontro de Camilinho como chamava seu Amado, será que iremos nos encontrar? dizia eu: se Papai do Céu permitir com certeza!!!
         Mas para minha surpresa pedi que escrevesse alguma coisa sobre mim ou JOAQUIMTUR aí meus amigos a emoção e o presente foi maior ainda, pois recebi no dia do meu aniversário uma carta depoimento, não esperava tanta Dedicação, Carinho, Atenção e AMOR, escrito em poucas linhas mais com grande poder que só ANNA MARIA CASCUDO BARETO fazia e foi logo dizendo... As últimas que escrevo sobre alguém. 
         Ficamos aqui com uma imensa saudade, mas na certeza onde Ela estiver estará com seus Pais, Irmão e Amado, tomando conta de todos nós Familiares, Amigos e Afins como também Defensora Mor Cascudiana da Nossa Cultura e Folclore do RIO GRANDE DO NORTE.

* Na íntegra o que ela escreveu:
                                       JOAQUIMTUR: QUINZE ANOS
             Era uma vez um rapaz idealista chamado Joaquim. Estudioso da nossa história, apaixonado pela nossa cultura, enamorado do nosso artesanato, admirador da arte. Seu grande desejo era transmitir aos visitantes os tesouros que o Estado possui em termos de tradição, fatos importantes historiográficos, beleza natural dos nossos diversos municípios.  Assim ele fundou, com recursos próprios e o entusiasmo dos que amam verdadeiramente suas raízes, a JOAQUIMTUR, agência atuante do ramo do turismo cultural.  Meu nome foi lembrado para ser sua “Madrinha”, com a alegria dos iguais.
Diversas vezes estivemos reunidos. Quando Hanna e Jacira Gondim deram tudo de si para que as noites natalenses encantassem com as cores das nossas danças populares – evidentementeenriquecidas com a coreografia festiva do talentoso Dimas e seu corpo de ballet do primeiro mundo – comparecemos, vibrando com a plateia composta de gente do Brasil inteiro. Aplaudimos, pedindo a Deus a permanência daqueles excelentes shows noturnos, que tanto ajudavam nosso turismo. Infelizmente eles cerraram as portas festivas, calçadas com a total indiferença oficial.
Joaquim, com sua linda esposa Jo e filhos Clara e Pedro Artur, buscaram outras fontes, organizando uma viagem à Tromba do Elefante, com um grupo entusiasmado. Foram até às belezas da Serra do Martins. Desembarcamos na Serra de Portalegre, terra dos tios Zenóbio Rego e tia Didi, e dos primos amados Netinha, Nobinho, Adalberto, Gagaça, Neide e Bernadete, com seus respectivos conjugues e filhos. Lá passamos dias felizes, no convívio familiar, comendo tapiocas e queijos, ouvindo estórias de lobisomem e de tesouros enterrados, respirando o ar puríssimo, conhecendo as lendas das tribos ameríndias que lá viveram, ou simplesmente atendendo ao chamamento do timbre do sino melódico e participando da Santa Missa. No final da tarde, cadeiras na calçada reuniam conversas e cantares que lembravam tempos antanhos.
Observamos a alegria de Joaquim em proporcionar o encanto das coisas simples da nossa terra. Um dos momentos mais inesquecíveis foi a visita ao Prefeito de Antônio Martins, quando foi inaugurada a casa onde Luis da Câmara Cascudo e Mario de Andrade pousaram, na sua busca pela história potiguar, que depois deu origem aos livros mais representativos daqueles gênios brasileiros.
Foi a JOAQUIMTUR quem nos levou a rezar aos pés da majestosa Santa Rita, tão bela e piedosa, valorizando o turismo religioso nas terras de Poti. Noutra feita, visitamos, no vizinho estado de Pernambuco, uma cidade encantadora e original, Gravatá, e depois assistimos o maior espetáculo de fé em teatro ao ar livre, em Nova Jerusalém.
É de justiça registrar que Joaquim permanece com um olhar enfeitiçado dirigidoà riqueza do nosso Estado. Currais Novos, com seu solo abençoado, o coreto da praça, a Mina Prejuicom trajetória diferenciada; Caicó, em seus bordados, sua carne de sabor inesquecível, o castelo e o amor à Santana, avó de Jesus Cristo; Campo Grande, terra de Coronel Cascudo e sua Donana, meus avós, hoje com uma Casa de Cultura patrocinada pela visão de Antônio Gentil,Barra de Cunhaú e seus encantos, aves raras, banho de mar e de rio, pesca do caranguejo; Cerrro Corá, onde nasce o rio Potengi, com enormes pedras banhadas por riachos de água doce, clima gostoso e grutas com inscrições rupestres enigmáticas e feiticeiras, são preciosidades únicas nesta terra.. E as Salinas, de Macau, brilhando ao luar? Os casarões antigos de Ceará Mirim, de Macaíba, não existe terra no mundo mais bela que a nossa.
É obvio que os proprietários de Agências de Viagem precisam conhecer para transmitir o deslumbramento pelo nosso Estado. Ler, em “Lendas Brasileiras” de Luis da Câmara Cascudo, a estória do Carro Caído à meia noite, e o carro de boi com o sino grande que iria para a Igreja, e Deus castigou o homem que dizia palavrões enquanto chicoteava o cavalo, tudo afundado na Lagoa de Extremoz, onde até os dias de hoje gente escuta o estalar do chicote, o gemido do carro, as badaladas do sino?
Vivemos tão habituados com o absurdo, tão acostumados com as incógnitas que nos rodeiam, que raramente paramos e podemos reparar que viver é fantástico!. Nós, potiguares, precisamos olhar em volta, e reconhecer como nossa terra é especial. Vamos tomar o ônibus da JOAQUIMTUR, com seus quinze anos de sucesso e deixar solto o lirismo oculto, loucura abençoada de seguir sorrindo pela estrada, descobrindo momentos de cristais, pássaros e estrelas, colecionando  momentos raros.

Natal, 30 de setembro de 2014,

Anna Maria Cascudo Barreto, escritora, acadêmica, Presidente do Instituto Câmara Cascudo (Ludovicus) e Presidente de Honra da Comissão Estadual de Folclore. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário